Carros Novos: Peugeot lança no Brasil nova Partner

Consórcio de Automóveis: Peugeot lança no Brasil nova Partner

Por 1consórcio
Publicado em: 17/06/2010

A Peugeot lançou em junho a nova Partner, que chega às concessionárias no final do mês com preço partindo de R$ 45,2 mil na versão de entrada (sem ar-condicionado). O item de conforto só está disponível na versão Escapade (R$ 50,6 mil), que também pode receber airbag duplo, ABS e rodas de liga-leve por mais R$ 5 mil. A opção furgão chega às lojas em julho, sem preço divulgado.

O Partner é o “irmão gêmeo” do Citroën Berlingo, multivan que tinha como destaque o teto-solar de lona a la Fiat 500. Composto por Renault Kangoo, Peugeot Partner e Fiat Doblò (o Berlingo não é mais oferecido no Brasil), este segmento vende em média 1,2 mil carros por mês, o que equivale aproximadamente a 0,48% do mercado.

Porém a Peugeot não vê isso como impeditivo, e aproveita o espaço aberto pela Citroën (que vai concentrar seus esforços no Aircross) para alavancar as vendas do Partner, antes vendido apenas na versão furgão. A meta da marca é vender 400 carros por mês, metade na configuração para cinco passageiros.

Para ganhar novos consumidores (e convencer os antigos proprietários da Berlingo), a Peugeot aposta na mesma receita do Kangoo, com boa lista de itens de série por um preço próximo dos concorrentes. Aliás, põe próximo nisso: o Renault custa apenas R$ 120 a mais quando comparadas as versões de entrada.

Por dentro, os franceses se equiparam, com direção hidráulica, vidros e travas elétricas como principais itens de série. Entre as diferenças, destaque para a segunda porta corrediça e retrovisor elétrico do lado direito (sim, só do lado direito) no Partner, além de seu motor 1,6-litro ter potência superior (113 cv com etanol) ao do Kangoo (98 cv).

A inspiração nos rivais também se deu na reestilização. Assim como Kangoo e Doblò, o Partner ganhou uma nova dianteira no Brasil meses após sua versão europeia mudar de geração. Justiça seja feita, o Partner antigo ainda é vendido na Europa, com o sobrenome Origin. Maior e mais moderno, o novo Partner não teria muito mercado aqui – assim como as novas gerações do Doblò e Kangoo.

A versão avaliada pelo WebMotors no lançamento da Partner é a Escapade. Assim como na Hoggar e 207 SW, a versão procura ter um visual mais aventureiro, o que inclui adesivos na carroceria, pneus de uso misto e grade nos faróis e lanternas.

A proteção tem lá sua justificativa para carros que enfrentam trilhas pesadas, protegendo as peças do impacto de galhos e pedras grandes. No Partner o acessório dá um ar diferente para o carro, mas pode não agradar a todos. Neste caso, o proprietário não terá muita opção: parafusada na carroceria, a grade não pode ser retirada sem deixar marcas, e a única versão sem o acessório também não tem ar condicionado nem como opcional.

Outro pacote compulsório é o airbag duplo e ABS, somente disponível no Partner Escapade. Tudo bem que a obrigatoriedade para o equipamento só será integral em 2014, mas a Peugeot poderia ao menos oferecer o item de segurança como opcional em todas as versões, como o sensor de estacionamento, que pode ser instalado na concessionária.

Por dentro o Partner ganhou um novo painel bicolor, mais moderno e com ergonomia razoável. Comandos dos vidros e trava elétrica estão no console central, assim como o ar-condicionado, cujo acionamento da recirculação está embutido no comando do ventilador, solução antiga que reflete a idade do projeto. A alavanca de câmbio tem engates firmes, apesar de a alavanca ser um pouco baixa em relação ao assento.

Ao volante, o Partner lembra um veículo menor. Com dois passageiros e sem carga, o propulsor 1,6-litro (o mesmo que equipa outros modelos da PSA) mostra bom fôlego para efetuar ultrapassagens. O silêncio na estrada é garantido por um bom isolamento acústico somado à longa quinta marcha, mantendo o motor a moderados 2.900 rpm a 120 km/h.

Nas curvas, porém, o Partner lembra que estamos dirigindo uma multivan com 1,86 m de altura. O centro de gravidade elevado faz com que mudanças repentinas de direção exijam perícia razoável do motorista. Característica inerente do projeto, a estabilidade abaixo da média poderia ser remediada com uma caixa de direção menos direta, principalmente em altas velocidades.

Nos bancos traseiros o espaço é generoso, mérito do teto alto e do entre-eixos de 2,69 m. Ao contrário da Berlingo, a Peugeot não oferece a terceira fileira, como no Kangoo. A opção pode não agradar a quem usa o carro para levar a família e mais alguns adendos, mas também não prejudica o volume do porta-malas, que neste carro é de 624 litros, podendo chegar a 2.800 com os bancos rebatidos.

O consumidor do Partner é mais específico do que o de outros modelos. Procura um carro versátil, que pode levar cargas volumosas ou cinco pessoas com conforto superior ao de monovolumes compactos. Questões como acabamento e posição de dirigir não estão entre as prioridades, ao contrário da manutenção e rede de assistência técnica – em especial para a pessoa jurídica. Neste quesito a Peugeot oferece 1 ano de garantia total e 3 anos para motor e câmbio, além de um pacote de revisões com preço fechado.

A disputa com a Renault não será fácil. Ambas possuem ampla rede de concessionários (153 na Peugeot) e os dois produtos já estão consolidados no segmento comercial. Para combater a conterrânea, a Peugeot mudou bastante, no caso da Partner, 240 peças, mas somente as vendas dirão de a Partner entrará no vocabulário popular. Mesmo que seja em uma roda de pais de família.

 

Faça uma Simulação

Você pode adquirir casa, carro ou moto pagando parcelas mensais sem juros.

Ver Planos

O que deseja?

Consórcio de Imóveis Escolha o Produto