Consórcios: Procura por consórcio de imóveis e automóveis cresce 38,5%

Consórcios: Procura por consórcio de imóveis e automóveis cresce e negócios aumentam 38,5%

Por 1consórcio
Publicado em: 14/06/2010

Mais brasileiros procuram o consórcio para carro zero ou casa própria!

Nos primeiros quatro meses deste ano, o Sistema de Consórcios registrou um aumento de 38,5% no volume de negócios realizados em relação ao mesmo período de 2009. Enquanto há um ano somava R$ 13,5 bilhões, em 2010 totalizou R$ 18,7 bilhões.

A razão do crescimento é justificada pela grande procura, que apontou maiores altas nas vendas de novas cotas no setor de veículos leves e no de imóveis. Nos automóveis, camionetas e utilitários (veículos leves), o total quadrimestral do ano chegou R$ 6,3 bilhões, 57,5% maior que os R$ 4,0 bilhões contabilizados há um ano. No setor imobiliário, as transações, de janeiro a abril último, atingiram R$ 6,6 bilhões, 26,9% superior aos R$ 5,2 bilhões do mesmo período, no ano passado.

“Ao analisar somente os meses do primeiro quadrimestre deste ano”, Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, esclarece que “o aumento confirma a maturidade do brasileiro na hora de adquirir um bem parceladamente. Usando mais a razão e menos a emoção, portanto sem entusiasmos com as promoções que focam parcelas atrativas, o consumidor tem feito contas e comparações. Com os pés no chão e ao considerar a necessidade de ter ou não de ter o veículo ou o imóvel imediatamente, o consórcio tem sido escolhido como forma planejada e mais econômica de comprar qualquer um dos dois”.

A inexistência de juros, o parcelamento integral do valor do bem desejado e a formação de patrimônio são características dos consórcios que têm feito a diferença nas decisões das várias classes sociais, especialmente na C, cuja evolução, ultimamente, tem sido maior, especialmente no consumo de bens duráveis como a casa própria ou o carro zero.

O estudo de cenários e oportunidades de negócios, feito pela empresa Quorum Brasil para a ABAC, no início de 2010, apontou o aumento da renda das classes C e D como principais para embasar o crescimento das vendas nos diversos setores do Sistema.

Também foram anotados outros fatores como o uso do FGTS nos imóveis, a expansão modal e a renovação de frota nos pesados, juro final alto e término das isenções de IPI nos automóveis, inovação constante nos eletroeletrônicos e parcelas baixas nas motocicletas.

A comercialização de novas cotas (veículos automotores, imóveis, eletroeletrônicos e serviços) acumulou 679,5 mil (jan-abr/2010), 14,2% mais que as 595,2 mil (jan-abr/2009) anteriores.  Depois de projetar em 10% o crescimento nas vendas para este ano e analisar os números do quadrimestre, a assessoria econômica da ABAC tem reanalisado seus cálculos para os próximos meses.

“Nosso desejo é que a economia mantenha seu ritmo, com oportunidades e segurança no emprego para o trabalhador, e sem mudanças no cenário internacional que possam vir a influenciar as atividades internas do país, possibilitando o alcance ou a superação da previsão”, completa Rossi. Em abril, o número de participantes ativos chegou a 3,84 milhões, 5,8% mais que os 3,63 milhões no mesmo mês, no ano passado. As contemplações também evoluíram. O acumulado de janeiro a abril de 2010 somou 317,2 mil contra 308,4 mil, totalizados no mesmo quadrimestre de 2009, alta de 2,9%.

Faça uma Simulação

Você pode adquirir casa, carro ou moto pagando parcelas mensais sem juros.

Ver Planos

O que deseja?

Consórcio de Imóveis Escolha o Produto