Financiamento: Com aprovação de Lei poderá aumentar até 4x a prestação do imóvel

Financiamento Imóbiliário: Reajuste no FGTS poderá aumentar até 4x a prestação do imóvel

Por 1consórcio
Publicado em: 11/05/2010

Programado para entrar na pauta da reunião da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) desta terça-feira (11, maio), o Projeto de Lei do Senado (PLS) 193/08 altera critérios de remuneração dos saldos das contas vinculadas ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), substituindo o indexador atual, a Taxa Referencial de Juros (TR), pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais 3% de juros ao ano.

Para o autor do projeto, Tasso Jereissati (Psdb/CE), “a fórmula de correção atual não acompanha a inflação e constitui flagrante injustiça ao trabalhador”. Sob este aspecto, o senador tem a concordância do advogado e especialista em questões do Sistema Financeiro da Habitação (SFH),Tiago Antolini, porém são inúmeras as restrições do profissional à proposta.

“É indiscutivelmente justo aumentar a remuneração dos depósitos do FGTS, já que os índices atuais prejudicam os trabalhadores porque estão bem abaixo dos pagos pelo mercado. Entretanto, de nada adianta corrigir essa injustiça, se a conta do justo aumento será paga pelos mutuários, já que a casa própria é financiada em 70% pelo FGTS”, diz Antolini.

Nas contas do advogado, que é consultor do Conselho Regional de Corretores de Imóveis em São Paulo (Creci/SP), alterar o critério de remuneração do FGTS pode aumentar em até quatro vezes o reajuste nas prestações da casa própria. “A correção das contas do FGTS com base no INPC, mais uma parcela da variação da taxa básica de juros (Selic), pode desestabilizar a vida dos mutuários.

Nos últimos dez anos, o INPC acumulou 98,80%, enquanto a TR acumulou 25,53%. Assim, os reajustes da casa própria podem tornar-se até quatro vezes maiores do que se vem observando. Além disso, a taxa Selic, também componente do índice, tende a crescer daqui para frente”, pondera.

”Inadimplência crescerá” Antolini afirma que caso a proposta em tramitação seja aprovada, “centenas de milhares de mutuários terão dificuldades para pagar suas prestações, piorando ainda mais a situação atual, na qual cerca de 50% dos compradores de imóveis financiados pelo SFH são considerados inadimplentes”.

O especialista chama atenção para a possibilidade que se abre diante do crescimento da inadimplência. Nesta eventualidade, ele reforça, diminuirá o afluxo de recursos advindos de prestações para o caixa do SFH, disponibilizando menos dinheiro para novos financiamentos. “Por outro lado, milhares de famílias perderão seus imóveis por inadimplência”, prevê.

Faça uma Simulação

Você pode adquirir casa, carro ou moto pagando parcelas mensais sem juros.

Ver Planos

O que deseja?

Consórcio de Imóveis Escolha o Produto